quarta-feira, 25 de maio de 2016

Por ela, por mim, por você... Por nós




Até onde vai essa violência? 
Até quando teremos tanto medo?
Quantas jovens não chegarão em suas casas?
Quantas preces precisarão ser feitas por mães aflitas?
Quantas Rayzzas ainda morrerão? 
Onde essa nossa impotência vai nos levar?
Até quando esse pânico diário vai nos paralisar? 
Quantos amigos, familiares e conhecidos ainda enterraremos? 
O quanto essa dor ainda vai apertar? 
Pra onde vai tantos pesares?
Quando o mundo terá mais amor?


Rayzza não mereceu o que aconteceu, ninguém mereceria algo assim.
A família e os amigos não merecem esse sofrimento, ninguém mereceria algo assim.


A Rayzza poderia ser eu.
A Rayzza poderia ser você. 
Poderia... ainda pode ser. Se nada for feito, seremos todas nós.


Escrevo por essa menina que teve sua vida arrancada brutalmente, escrevo por uma jovem que mal conheci, escrevo também por tantas outras que estão por vir. Escrevo por você, por mim. Escrevo por um mundo melhor. Por um mundo em que andar sozinha não te faça um alvo. Por um mundo onde ser mulher não é ter medo. Por um lugar em que as mães não chorarão nas lápides de suas filhas. Por um mundo de amor, com segurança, com empatia.
Por um mundo que ainda não existe, mas que podemos construir, juntos!