quarta-feira, 22 de maio de 2013

Abraço



"Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve."
(Martha Medeiros) 


Aquele abraçado apertado, aquele abraço que cura toda e qualquer ferida, aquele abraço que nos dá força e coragem para seguir em frente. O melhor dos carinhos!
Rosto colado, corações sintonizados, silêncio. Palavras se tornam desimportantes no momento em que os corpos ali colados, apertados se tornam um só. Sentir a respiração do outro, sentir-se protegido do mundo. Aquela sensação de que nada pode fazer-lhe mal enquanto você estiver ali envolto naquele abraço.
Abraço de mãe preocupado, de namorado apaixonado, de pai zeloso e de amigos inseparáveis. Melhoram o dia, combatem a tristeza e liberam a felicidade.
Partilhar a alegria? Fácil, abrace bem apertado uma pessoa querida. Abraço em grupo? Melhor ainda, aperte com força e revigore a sua energia. 
Um remédio sem contra indicação, um remédio mais que recomendado e que acalenta o coração. Já abraçou alguém hoje? 

Feliz dia do abraço!

(Luíza Gallagher)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Sophie V




Querido Adam,

Eu o amo a cada segundo mais. Vago nas ruas atras de algum sinal teu, passo horas sentada olhando o mar e rezando baixinho para que você volte para mim. Ah, o mar! O mar é testemunha do meu sofrimento, o mar continuará ali sabendo de todas as minhas dores mesmo que eu não mais exista. Cada lágrima minha fica ali perdida por entre as ondas num ir e vir eterno buscando por ti.


Não mais suporto a dor de encarar Alice. É duro olhar para aqueles olhos, seus olhos, e saber que não é você.

Me disseram que estou enlouquecendo, que deveria esquecer as fantasias e viver a realidade, a minha filha precisa de mim. Adam o que é a realidade? Nada é real para mim sem você. Me perco em delírios de dor a cada lembrança tua. Não consigo cuidar de uma criança, não consigo cuidar de mim.

Falaram que o Ethan irá levar a Alice de mim. Não sei quem ele é, mas temo ao pensar que não mais ouvirei aquele inocente riso infantil pela casa. Apesar de tudo, é aquela menina que me motiva a sair da cama, é por ela que ainda vivo. Eu a amo apesar de não conseguir fixar os olhos nela, apesar de não suportar seus abraços e brincadeiras infantis. Não consigo toca-la, nem dizer-lhe o quanto é importante para mim. Me dói ficar tão próxima de algo tão frágil e puro. Sinto-me só, perdida no escuro é como se eu estivesse aprisionada. Vivo assustada pelos cantos. Adam nunca esquecerei de ti.

Da sua eterna Sophie.

(Luíza Gallagher)

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Sophie IV




Adam, 



Sua falta não mais me causa dor e nem lágrimas rolam pelos meus olhos. Após dois anos sem você sinto apenas o ódio pela sua partida. Eu o amava como a um príncipe, mas hoje vejo que você nunca passou de um vilão cruel e ardiloso. Roubou de mim toda a alegria, toda a ingenuidade e carregou o coração que eu possuía. Hoje não mais sou capaz de amar.

Não existe alegria e nem esperança, estou cercada por trevas. A esperança que me restava foi por fim destruída, dois anos e nenhum sinal de você?

Alice é meu porto seguro, irônico. Uma criança indefesa que deveria depender de mim, mas cá estou eu atirada no chão aos prantos completamente frágil. Vejo-me no escuro sem seus olhos para me iluminarem, Adam.
Eu o odeio, odeio por ter despedaçado minha vida, odeio por ter aparecido, por ter me feito amar, por ter me feito acreditar... Mas você partiu sem mim, sem Alice... Você nos abandonou como um pobre bêbado abandona a esperança ao virar mais uma garrafa de rum. Você me abandonou como quem abandona um cão sarnento, demonstrando assim toda a crueldade que um ser humano pode ter.
E eu perdi dias, meses, anos ali a te esperar. Todo o fim de tarde ia para frente do mar para ver se ali encontraria partes de você. Cansei de mendigar migalhas de você. As pessoas não entendem, pedem para eu parar, para eu seguir e cuidar da Alice, dizem que não importa quem quer você seja.
Ninguém o conhece Adam, e como poderiam conhecer? Eu que me julgava sua, eu que te julgava meu... Olha para mim, olha como estamos, olha o que sua ausência me causou.
Gostaria que você nunca tivesse existido. Cada minuto ao seu lado fez com que eu me sentisse no paraíso, mas a cada segundo da sua ausência me sinto caindo em um abismo infinito de dor. Essa é a última carta que escrevo a você Adam.
Quero que saiba o quanto o odeio por tudo e espero que um dia pague. Quanto a Alice, oh, a bela menina de olhos iluminados, ela é um anjo apesar de possuir seus olhos demoníacos. Ela me salvará da dor da sua ausência. Sobreviveremos ao seu abandono, como se você ao menos se importasse.

Sophie.



(Luíza Gallagher)