sábado, 19 de outubro de 2013

100 Anos do Poetinha


O "poetinha" que de miúdo nada tem, sua genialidade antevem qualquer nomenclatura. Aquele moço Bossa Nova com o copo de Whisky na mão e um mundo de amores no coração. Depois dele Ipanema nunca mais foi a mesma, o que diga então a garota do corpo dourado? Vinícius eternizou seu balançado. O poeta de mesa de bar, de orla de praia, de brisa de mar. O peta dos amores, das bebidas, das belas meninas. Vinícius provou que o amor é lindo, é frágil, é voraz e imortal, ardente e fugaz. Em canções e poesias retratou a tristeza, a alegria, a eternidade e a efemeridade, sem nunca botá-las como contraditórias, pois esta a vida já a é. 
Ah, se todos fossem iguais a você Vinícius... Mas como não há nada sem separação, você se foi. A morte, angústia de quem vive, te alcançou. Porém. você ainda vive em suas poesias... Que seja eterno enquanto dure (e você ainda dura).
Mas como é melhor se alegre do que ser triste, hoje vamos celebrar, celebrar in memoriam de um grande talento, de um grande poeta. Parabéns pelo centenário querido poetinha, um brinde a você que possuía um amor sem mistério e sem virtude, mas que devorava a alma. A você que partiu de repente, não mais que de repente. 
E por falar em saudade, graças a ti, estou aqui berçando versos de saudade imensa. Como eu, muitos se inspiraram e ainda se inspiram em ti. Um brinde a você que nos ensinou a amar.


(Luíza Gallagher)

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Largo Tudo Se A Gente Se Casar Domingo






-Sim - ouvi minha voz rouca e vacilante concordar com a maior loucura da minha vida.

Não vou mentir, eu estava com muito medo. Minhas mãos trêmulas denunciavam o meu nervosismo. Não me leve a mal, mas sempre fui uma boa garota, talvez nenhuma filha perfeita, mas não tirava notas ruins na época do colégio e nunca me meti em confusões, mas aquilo... 

Olhei para ele e ali estava tudo o que eu sempre sonhei. O sorriso mais lindo do mundo, o olhar... Ah, a intensidade daquele olhar me inunda de certezas. A minha mente grita “É ele”, e eu apenas sorrio.

Uma voz grave a minha frente me tira do devaneio, fico surpresa por ter esquecido nesses poucos segundos que nós não estávamos a sós.

-Eu os declaro marido e mulher. – disse o padre, confirmando o que o meu coração já sabia, aquele homem era meu e eu era dele.

-Pode beijar a noiva.

Meu coração quase explodiu com o toque daqueles lábios nos meus, meu marido.

Saímos da capela tropeçando na alegria que transbordava de nós dois.

-Meu pai vai nos matar! – eu constatei alarmada. Ele apenas sorriu e disse com uma inacreditável simplicidade:

-Ele não precisa saber por enquanto, nós não vamos voltar mesmo. – me deu uma piscadela displicente que combinada com aquele sorriso torto formava a perfeita imagem de um moleque travesso ou de um doce cafajeste. 

-Viver em Las Vegas? – duvidei.


-Viver de amor na terra das fantasias, aqui tudo é possível, querida! – ele me corrigiu. Pegou em minha mão, beijou minha aliança e sorrimos. Eu lhe lancei um olhar provocante e o puxei para dentro do primeiro cassino.


(Luíza Gallagher)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Guerreiros do Quadro Negro

Os desafios enfrentados pelo professor e a esperança no futuro





No dia 15 de outubro é comemorado o Dia do Professor no Brasil. Nessa mesma data no ano de 1827, Dom Pedro I decretou a criação do ensino elementar no país, porém apenas 120 anos depois desse decreto é que começamos a comemorar o Dia do Professor por aqui. 

O profissional da educação é marcado pela sua importância e também pela falta de reconhecimento que recebe. Com salários baixos e por vezes condições precárias de trabalho, luta com bastante dificuldade para mudar a situação educacional do país. Ana Cristina Bezerra, professora há 17 anos, aponta também a ausência de incentivo à capacitação e de atualização acadêmica como um dos grandes problemas da educação. Segundo ela, a falta de apoio desmotiva os profissionais da área. 

Falta de apoio também é o que Fábio Costa, de 22 anos, sentiu ao decidir seguir a carreira de professor. “Quando contei para o meu pai o que eu planejava fazer ele ficou louco. Disse que era profissão de mulher e que eu ia morrer de fome com o salário.” Conta o estudante de letras.

O medo com relação às finanças infelizmente é uma realidade da profissão. De acordo com uma pesquisa que visa traçar o perfil do professor, realizada pela UNESCO em 2004, a grande maioria dos docentes tem renda familiar situada entre 2 a 10 salários mínimos. Arnaldo Niskier, Doutor em Educação pela UERJ, mostra grande preocupação com esse problema: “Os nossos professores, em todos os graus, recebem salários miseráveis. Como é que se vai mudar a face do país sem professores e especialistas estimulados, com salários compatíveis com a dignidade humana?"

Porém mesmo com todas as dificuldades, a maioria dos profissionais permanece bastante confiante em dias melhores. A professora Ana Cristina Bezerra declara que o amor ao ato de educar é o grande estimulo a seguir na carreira. “O ato de ajudar na formação de um cidadão mais consciente e capaz de transformar a sociedade, para que possam pensar mais no coletivo é o que me motiva.” Fábio Costa faz coro: “A grande motivação que tenho em trabalhar como professor vem do fato de ter sempre sonhado em mudar o mundo, e o ato de ensinar, de mudar aquelas crianças é de certa forma um ato de mudar um pouco do mundo. Me sinto um verdadeiro guerreiro do quadro negro ao pensar que estou fazendo o meu papel para termos um mundo melhor”.


(Luíza Gallagher)

sábado, 12 de outubro de 2013

Dia das Crinças






Sim, essa da foto era sou eu. Hoje, dia das crianças, momento em que devemos relembrar uma época repleta de tazzos, tomagoshis, CDZ, Dragon Ball, Xuxa, É o Tchan, barbies, massinha, Sandy e Junior, Família Dinossauro, Pega-pega, Pique esconde, amarelinha, bolinha de gude, pipa, Chiquititas, Doug, Pokémon, Figurinhas, casa dos amigos, desenhos no cinema, teatro infantil, campeonato de iô-iô, hora do recreio, dancinhas coreografadas, músicas infames (né Lacraia), pipoca e sessão da tarde, passeios pro parque, brigadeiro com os amigos, pular corda, legos, desenho animado o dia todo, bichinhos de pelúcia, giz de cera, power rangers… Época boa, infância passada e sempre que possível resgatada. Nesse dia desejo que todas as crianças tenham dias tão maravilhosos como eu tive e que todos os adultos revivam sempre que possível um pouco dessa infância. Feliz dia das crianças a todos! 
(Luíza Gallagher)